Weby shortcut
Youtubeplay

Depoimentos alunos UFJ

Atualizado em 10/01/19 22:12.
Juliano Alves de Lima - Biomedicina - Intercâmbio na Argentina pela Rede AUGM
Realizou mobilidade no 1º semestre de 2016 Universidad Nacional del Nordeste, no curso de Bioquímica.

 

Juliano

Meu nome é Juliano Alves de Lima, sou aluno do curso de Biomedicina UFG-Jataí, participei de intercâmbio acadêmico no 1º semestre de 2016 pela Asociación de Universidades Grupo Montevideo, na Universidad Nacional del Nordeste – Argentina, no curso de Bioquímica.

Tudo começou no dia 01 de março, quando o então grande dia chegou, embarquei com todos os sonhos e os medos, mas confiante que esses pequenos meses seriam fantásticos e surpreendentes. Fui recebido em clima de festa pelos outros intercambistas de diversas nacionalidades, pessoas estranhas, mas que me acolheram de braços abertos e cheios de sorrisos.

A próxima etapa foi conhecer a Universidade, para minha felicidade, fui recebido com grande carinho, respeito e hospitalidade pelos alunos do 5º ano do então curso de Bioquímica. Cursei disciplinas cuja as ementas seriam compatíveis com as disciplinas que eu cursaria na UFG, e apesar da dificuldade dobrada pelos fatores idioma e sistema de ensino diferente, voltei com grandes conhecimentos que engrandeceram minha experiência profissional.

Acredito que um intercâmbio estudantil nos proporciona muitas experiências, que vão além do âmbito da Universidade, com ele aprendemos a nos adaptar a situações, pessoas, idioma e cultura completamente diferentes do que estamos acostumados, não é uma jornada fácil, mas depois de superada, o sentimento de auto realização e determinação vem como um troféu.

Por fim deixo os meus agradecimentos aos professores que me incentivaram, à Coordenação de Assuntos Internacionais UFG, a Cooperação Internacional da UNNE e também, aos meus nobres amigos intercambistas que tornaram inesquecível esses meses da minha vida. 

 

Diego Aguirre Muller Costa - Engenharia Florestal - Intercâmbio na Alemanha pelo Ciência sem Fronteiras/CAPES
Foram 7 meses de curso de alemão em Frankfurt am Main e 1 ano cursando Engenharia da Madeira na Hochschule
Für Forstwirtschaft Rottenburg, residindo na cidade de Tübingen.


Diego

Minha vontade de fazer um intercâmbio, em especial na Alemanha, começou antes mesmo de entrar na universidade, principalmente porque minha família possui descendência alemã, além de ser um país referência no mundo. Ver a experiência de amigos da UFG e as oportunidades do Ciência sem Fronteiras fizeram com que eu fosse atrás desse objetivo.

Em Agosto de 2013 comecei essa experiência e pude conhecer uma realidade bem diferente da nossa. Uma variedade cultural e de pessoas entre países muito próximos e até mesmo dentro de cada país, como na Alemanha, que possui o tamanho aproximado de Goiás e apresenta uma variedade de dialetos.

Aprender a língua alemã e usá-la no dia a dia, estudar e morar com estudantes de vários países, além de fazer novas amizades que cultivo até hoje, foi e continua sendo enriquecedor tanto na minha vida pessoal quanto profissional.

Durante a faculdade, por se tratar de uma universidade pequena, pude conhecer de perto os professores. Além disso, nas disciplinas pude ver que a madeira é muito valorizada e aproveitada no país de diversas formas, principalmente em construções e como energia para o aquecimento das casas. O melhor momento foi participar de uma excursão junto com a turma pelo sul da Alemanha, Suíça e Áustria visitando indústrias madeireiras.

Em março de 2015 voltei com uma bagagem grande de experiências, as quais procuro compartilhar para que isso possa servir de exemplo para que outros estudantes despertem essa vontade de aprender uma nova língua e fazer um intercâmbio. Uma forma de aproveitar esse aprendizado está sendo minha participação no Movimento Empresa Júnior, onde estou contribuindo na criação da Empresa Júnior Forestalis na nossa universidade.